• HQ•Content

Sono e obesidade: qual a relação?


A obesidade é um distúrbio que envolve o excesso de peso, o qual resulta, geralmente, da ingestão de calorias além das necessidades energéticas do indivíduo. Trata-se de uma doença crônica e de etiologia multifatorial, podendo ser determinada pelos hábitos de vida e alimentares, e, também, pela qualidade e quantidade do sono, além de outras causas. No que se diz respeito ao sono, há uma associação entre a ocorrência da obesidade e o favorecimento dos distúrbios do sono, assim como indivíduos que sofrem de distúrbio do sono têm maior risco de desenvolvimento de obesidade.


Influência da obesidade no sono

Indivíduos com obesidade têm mais asfixia, despertar noturno, sono não reparador, ronco e sonolência diurna. Isso pode ocorrer por diversos mecanismos que explicam a relação entre obesidade e distúrbios do sono, como: apneia obstrutiva do sono, citocinas pró-inflamatórias, dieta e distúrbios gastrointestinais funcionais.


Apneia obstrutiva do sono:

O excesso de peso pode representar uma barreira mecânica à respiração normal, o que pode aumentar o risco de desenvolver apneia obstrutiva do sono (AOS) - caracterizada por estreitamento e fechamento recorrente das vias aéreas superiores. Essa condição está associada a despertares noturnos frequentes, fragmentação do sono com comprometimento da qualidade e duração do sono e sonolência diurna.


Citocinas pró-inflamatórias:

A qualidade do sono também é prejudicada pelo aumento dos níveis circulantes de citocinas pró-inflamatórias, que são frequentemente associadas à obesidade. Assim, poderia ser hipotetizado um possível círculo vicioso operando nas interações entre obesidade, níveis de citocinas pró-inflamatórias e alteração do sono.


Dieta e distúrbios gastrointestinais funcionais:

A alimentação não saudável, com alto consumo de gordura e carboidrato, parece influenciar negativamente na qualidade do sono. Enquanto a dieta rica em fibras está associada a um sono mais reparador e profundo. Além disso, distúrbios do sono na obesidade podem ocorrer devido a outras condições patológicas associadas à obesidade, como os distúrbios gastrointestinais - incluindo a síndrome do intestino irritável e a dispepsia funcional.


Influência do sono no ganho de peso

Por sua vez, os distúrbios do sono podem favorecer o ganho de peso. O aumento da ingestão de calorias e as alterações hormonais são mecanismos envolvidos na relação entre distúrbios do sono e obesidade.


Aumento na ingestão de calorias:

A restrição do sono parece levar a um aumento do gasto energético que, por sua vez, resulta em um aumento da ingestão alimentar durante o dia, provavelmente como um mecanismo compensatório. Por isso, indivíduos com distúrbios do sono tendem a ter aumento na ingestão de calorias e uma dieta de baixa qualidade, com maior consumo de alimentos ricos em gordura, carboidratos (principalmente doces) e alimentos excessivamente calóricos, o que pode favorecer o ganho de peso.


Alterações hormonais:

Os distúrbios do sono estão associados a alterações hormonais que podem levar ao ganho de peso. Dentre essas alterações, tem-se:


  • Aumento do cortisol: relacionado ao aumento do consumo de alimentos altamente palatáveis, resistência à insulina, prejuízo à homeostase da glicose e maior acúmulo de gordura visceral;

  • Altos níveis de grelina e baixos de leptina: alteração associada ao prejuízo na sinalização de fome e saciedade, levando à maior ingestão de calorias, principalmente alimentos doces;

  • Estímulo ao sistema endocanabinoide: o ritmo do 2-araquidonoilglicerol (um dos ligantes mais abundantes dos receptores endocanabinóides) é amplificado e o pico é retardado e prolongado, aumentando a fome;

  • Menores níveis de melatonina: esse hormônio está associado ao controle da fome e no consumo de energia; por isso, níveis baixos de melatonina podem favorecer o ganho de peso.


Sono e obesidade na prática clínica

Dessa forma, é possível compreender que a relação entre obesidade e distúrbios do sono é bidirecional, na qual a má qualidade e pouca quantidade de sono podem contribuir para a patogênese e/ou agravar as complicações relacionadas à obesidade, e essa pode levar aos distúrbios do sono. Por isso, a melhora do sono pode ajudar no manejo da obesidade e o controle do peso pode melhorar a qualidade e quantidade do sono.


Para um estudo mais aprofundado sobre o tema, seguem abaixo algumas sugestões:


Blog HQ - Por que seu paciente sente tanta fome?


Blog Science Play - Alterações no padrão de sono e suas consequências metabólicas


Referências:

Artigo - MUSCOGIURI, Giovanna; BARREA, Luigi; ANNUNZIATA, Giuseppe; SOMMA, Carolina di; LAUDISIO, Daniela; COLAO, Annamaria; SAVASTANO, Silvia. Obesity and sleep disturbance: the chicken or the egg?. Critical Reviews In Food Science And Nutrition, [S.L.], v. 59, n. 13, p. 2158-2165, 18 out. 2018. Informa UK Limited. http://dx.doi.org/10.1080/10408398.2018.1506979.


Artigo - FATIMA, Y.; DOI, S. A. R.; MAMUN, A. A.. Sleep quality and obesity in young subjects: a meta-analysis. Obesity Reviews, [S.L.], v. 17, n. 11, p. 1154-1166, 15 jul. 2016. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/obr.12444.


Frase chave: relação entre obesidade e distúrbios do sono. Autora: Maria Beatriz