• HQ•Content

Entenda como os polifenóis podem influenciar a microbiota



Dentre muitos fatores, a dieta está diretamente relacionada à composição da microbiota intestinal. Mas falando especificamente dos polifenóis, você sabe como podem influenciar a microbiota ?



Conhecendo os polifenóis


Os polifenóis são metabólitos secundários produzidos pelas plantas, encontrados em uma ampla variedade de alimentos, como frutas, vegetais, ervas, sementes e cereais, e em bebidas, como café, chá, cacau e vinho. Quimicamente falando, os polifenóis são um grande grupo de compostos caracterizados com base na sua estrutura química e complexidade.


São geralmente classificados em flavonóides e não flavonóides, sendo que os flavonóides também são classificados em outras subclasses de acordo com suas diferenças estruturais (flavanonas, flavonas, diidroflavonol, flavonóis, flavan-3-ols ou flavonóides, antocianidinas, isoflavonas e proantocianidinas). Atualmente, são um tema de grande atenção científica, devido seus potenciais benefícios à saúde que incluem propriedades anticâncer, antioxidantes, antimicrobianas e antiinflamatórias.



Interação entre os polifenóis e a microbiota


A microbiota intestinal é essencial para a manutenção da homeostase intestinal e da saúde humana como um todo. Nesse sentido, sabe-se que a maioria dos polifenóis passa pelo intestino delgado sem ser absorvido, encontrando assim a microbiota intestinal que coloniza o cólon. Isso levou ao desenvolvimento de uma relação recíproca entre os polifenóis e a microbiota, que contribui para os seus efeitos benéficos.


A interação dos polifenóis e a microbiota acontece de diversas maneiras. Primeiro, os polifenóis são biotransformados em seus metabólitos pela microbiota intestinal, o que resulta no aumento da sua biodisponibilidade. Em segundo lugar, os polifenóis modulam a composição da comunidade microbiana intestinal principalmente por meio da inibição de bactérias patogênicas e da estimulação de bactérias benéficas. Por último, eles podem atuar como prebióticos e assim, contribuir com o desenvolvimento das bactérias benéficas.



Efeitos dos polifenóis na composição da microbiota


Diversos estudos vêm demonstrando os efeitos dos polifenóis na microbiota. Já sabemos, por exemplo, que podem aumentar ou diminuir as espécies microbianas benéficas e prejudiciais presentes na microbiota intestinal. Além disso, podem também atuar como agentes antimicrobianos contra os patógenos.


Em geral, os polifenóis podem promover o aumento de espécies benéficas, como: Lactobacillus, Bifidobacterium, Roseburia, Akkermansia, Faecalibacterium e Bacteroides; em contrapartida, podem diminuir espécies patogênicas, como: Enterococcus faecalis e Lachnospiraceae, além de melhorar a proporção de Firmicutes para Bacteroides. Essa modulação proveniente dos polifenóis, pode promover também o aumento de ácidos graxos de cadeia curta, resultando em uma melhora da composição da microbiota intestinal como um todo.


Os polifenóis também podem ser capazes de conferir efeitos protetores prebióticos, devido à sua especificidade contra patógenos, aumentando assim o crescimento e estabelecimento da família de bactérias probióticas, como Bifidobacteriaceae e Lactobacillaceae; e inibindo bactérias patogênicas como E. coli, Clostridium perfringens e Helicobacter pylori.



Polifenóis específicos e seus efeitos sob a microbiota


Como vimos anteriormente, existem diversos polifenóis presentes em alimentos de origem vegetal, podendo ser classificados como flavonoides e não flavonóides. Há inúmeros estudos que destacam polifenóis específicos e seus efeitos sob a microbiota. Dentre os mesmo, podemos citar:


  • Quercetina- é considerada um flavonoide, presente principalmente na cebola e maçã. Relacionada principalmente a modulação da proporção Firmicutes/ Bacteroidetes, além de inibir o crescimento de espécies bacterianas associadas à obesidade induzida por dieta, como Erysipelotrichaceae, Bacillus. e Eubacterium cylindroides.

  • Resveratrol- encontrado principalmente nas sementes de uvas, na película das uvas pretas e no vinho tinto, pode estimular o crescimento de bactérias produtoras de butirato, como Faecalibacterium e Roseburia, que parece estar associado principalmente à inibição de doenças metabólicas como obesidade, diabetes e inflamação.

  • Catequinas- principalmente as presentes no chá verde, podem inibir patógenos bacterianos, incluindo L. monocytogenes, P. aeruginosa, S. aureus e B. cereus, além de exercer efeitos antibacterianos, interferindo no metabolismo energético da bactéria e reduzindo a formação de enterotoxinas no intestino.

⁨Autores: Nathalia Faria e Felipe Ribeiro



Para um estudo mais aprofundado sobre o tema, seguem abaixo algumas sugestões:


Blog HQ- A microbiota intestinal e suas possíveis implicações à saúde


Sugestão de estudo do portal Science Play - Efeitos da dieta em doenças inflamatórias intestinais


Artigos:


ARAVIND, S. Mithul et al. Role of dietary polyphenols on gut microbiota, their metabolites and health benefits. Food Research International, [S.L.], v. 142, p. 110189, abr. 2021. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.foodres.2021.110189.

CARDONA, Fernando et al. Benefits of polyphenols on gut microbiota and implications in human health. The Journal Of Nutritional Biochemistry, [S.L.], v. 24, n. 8, p. 1415-1422, ago. 2013. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.jnutbio.2013.05.001.

WAN, Murphy L. y; CO, Vanessa Anna; EL-NEZAMI, Hani. Dietary polyphenol impact on gut health and microbiota. Critical Reviews In Food Science And Nutrition, [S.L.], v. 61, n. 4, p. 690-711, 25 mar. 2020. Informa UK Limited. http://dx.doi.org/10.1080/10408398.2020.1744512.