• HQ•Content

Entenda como a dieta plant based auxilia na prevenção das doenças cardiovasculares


Atualmente, as dietas plant based têm sido cada vez mais associadas a um menor risco de doenças cardiovasculares. Mas você já sabe o porquê isso acontece? Entenda agora, como a dieta plant based auxilia na prevenção das doenças cardiovasculares.


A dieta plant-based


As chamadas dietas plant based (dieta baseada em plantas), consistem em uma diversificada família de padrões alimentares, que podem ser definidos em termos de baixa frequência do consumo de alimentos de origem animal. As dietas vegetarianas, por exemplo, podem ser consideradas um subconjunto de dietas baseadas em vegetais que propõe a exclusão da ingestão de alguns ou todos os alimentos de origem animal, bem como as dietas veganas, que excluem o consumo de todos os produtos de origem animal.

Entretanto, as dietas baseadas em plantas, não propõem necessariamente a exclusão completa de alguns ou todos os alimentos de origem animal, mas sim encorajam a adesão a uma dieta predominantemente baseada em vegetais. Isso porque, visam principalmente uma aplicabilidade mais ampla, com reduções graduais na ingestão de alimentos de origem animal, o que pode ser mais fácil de adotar e seguir do que, quando pensamos em recomendações mais restritivas, como a exclusão completa de alimentos de origem animal.


As doenças cardiovasculares


A doença cardíaca é hoje a principal causa de morte em todo o mundo nos últimos 20 anos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, ela aumentou em mais de 2 milhões desde o ano 2000 para quase 9 milhões em 2019. As doenças cardiovasculares podem ser definidas como um grupo de doenças do coração e dos vasos sanguíneos, que na maioria dos casos, pode ser prevenida por meio da abordagem dos seus fatores comportamentais de risco, como: o uso de tabaco, dietas não saudáveis e obesidade, falta de atividade física e o uso nocivo do álcool

A dieta plant based e a prevenção das Doenças cardiovasculares

Diversos estudos vêm sendo conduzidos para propor padrões alimentares que possam auxiliar na prevenção das doenças cardiovasculares. Nesse sentido, a dieta baseada em plantas, a chamada plant based diet que vimos anteriormente, pode influenciar na saúde cardiovascular por meio de potenciais mecanismos, que explicam seus efeitos cardiometabólicos benéficos, tais como:


  • Perda de peso e manutenção a longo prazo: oferece baixa densidade energética devido ao seu baixo teor de gordura saturada e alto teor de fibras. Em particular, a fibra dietética pode diminuir a ingestão de energia, desencadeando sinais de saciedade, como aumento da distensão gástrica e moderando as respostas insulinêmica e glicêmica pós-prandial .

  • Baixo teor de gordura saturada e alto teor de gordura insaturada: a substituição de ácidos graxos saturados por ácidos graxos poliinsaturados pode reduzir a proporção de colesterol total High Density Lipoprotein (HDL), além de que há algumas evidências de que os ácidos graxos poliinsaturados ativam as vias anti inflamatórias. Já os ácidos graxos saturados, ativam as vias de sinalização pró-inflamatórias, além de interagir com o microbioma intestinal e promover a translocação de lipopolissacarídeo (LPS), uma potente endotoxina pró-inflamatória, para a corrente sanguínea

  • Polifenóis: os alimentos vegetais como grãos inteiros, frutas, vegetais, óleos vegetais, nozes, chá, café e cacau, são ricos em polifenóis e compostos bioativos. Esses compostos possuem alta capacidade antioxidante que junto com sua capacidade de modular a produção de óxido nítrico, ajudam a manter a homeostase vascular. Os polifenóis, também podem contribuir para a melhoria da saúde cardiovascular por meio do seu papel na inibição da agregação plaquetária, redução da inflamação vascular, modulação dos processos apoptóticos, limitação da oxidação do LDL ( high density lipoprotein) e melhora do perfil lipídico.

  • Outros nutrientes antioxidantes: uma dieta saudável à base de vegetais, também é repleta de vários outros nutrientes antioxidantes, como vitaminas C, E e betacaroteno; potássio, que demonstrou reduzir a pressão arterial e diminuir o risco de derrame por meio de seus efeitos benéficos na função endotelial e na homeostase vascular.

Para um estudo mais aprofundado sobre o tema, seguem abaixo algumas sugestões:


Blog HQ- Descubra a influência das fibras na redução do colesterol


Sugestão de estudo do portal Science Play- Efeitos da Dieta Plant-Based no Metabolismo da Glicose


Artigos:


TRAUTWEIN, Elke A.; MCKAY, Sue. The Role of Specific Components of a Plant-Based Diet in Management of Dyslipidemia and the Impact on Cardiovascular Risk. Nutrients, [S.L.], v. 12, n. 9, p. 2671-2680, 1 set. 2020. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu12092671.


STORZ, Maximilian Andreas. What makes a plant-based diet? a review of current concepts and proposal for a standardized plant-based dietary intervention checklist. European Journal Of Clinical Nutrition, [S.L.], p. 1-9, 21 out. 2021. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1038/s41430-021-01023-z.


KAISER, Jeenan et al. A Systematic Review of the Association Between Vegan Diets and Risk of Cardiovascular Disease. The Journal Of Nutrition, [S.L.], v. 151, n. 6, p. 1539-1552, 8 abr. 2021. Oxford University Press (OUP). http://dx.doi.org/10.1093/jn/nxab037.


Frase-chave: plant based diet e a prevenção de doenças cardiovasculares

Autores: Nathalia Faria e Felipe Ribeiro