• HQ•Content

Entenda a relação entre intestino e tireóide


A tireóide é uma glândula que se conecta com o nosso corpo inteiro. Os hormônios secretados controlam a função da maioria dos tecidos, mantendo o equilíbrio do organismo. Alguns fatores influenciam na produção dos hormônios tireoideanos e na conversão de T4 em T3, dentre eles:


  • Ferro, iodo, selênio, zinco, vitamina E, tirosina, vitamina B2, B3, B6, vitamina C e D, contribuindo para a produção adequada destes hormônios.

  • Selênio e zinco contribuindo para a conversão de tiroxina (T4) em triiodotironina (T3).

  • Vitamina A e zinco aumentando a sensibilidade celular aos hormônios tireoideanos.

  • Estresse, infecção, toxinas e doenças auto-imunes, inibindo sua produção.


O papel desses nutrientes na saúde tireoidiana mostra a importância de bom funcionamento intestinal, tornando a deficiência ou o excesso nutricional um fator para alterar a função dessa glândula. Por outro lado, outros agentes se associam com distúrbios na tireóide, como doenças autoimunes (tireoidite de Hashimoto e doença de Graves), hipertrofia (bócio), infecção viral (tireoidite De Quervain), uso desequilibrado de medicamentos e tumores, que se relacionam com alterações na microbiota intestinal.


Quadros de disbiose (alteração na composição das bactérias intestinais) e de supercrescimento bacteriano, aumentam a permeabilidade intestinal, causando um aumento de células pró-inflamatórias e impactando na tireóide.


Microbiota intestinal e micronutrientes


As bactérias intestinais desempenham um papel importante na síntese de vitaminas (B2, B3, B9, B6) e na absorção de minerais relevantes para a tireoide (iodo, selênio, ferro e zinco). Como exemplo principal, temos o iodo, essencial para síntese dos hormônios tireoideanos, cuja deficiência é responsável por 5 a 10% dos casos de hipotireodismo na população mundial. Esse mineral é absorvido no estômago, duodeno e jejuno. Indivíduos com doenças inflamatórias intestinais reduzem a diversidade da microbiota, promovendo uma má absorção de iodo e assim impactando na função tireoidiana.


Outro nutriente fundamental para a função e homeostase da tireóide é o zinco, necessário para a enzima 1,5-deiodinase conseguir catalisar a conversão de T4 em T3. Uma absorção gastrointestinal prejudicada, pode causar deficiência desse mineral e assim prejudicar a síntese de TRH, TSH, T3, T4.


Influências intestinais na tireoide


Inflamações graves da mucosa intestinal, atrofia das vilosidades e aumento da permeabilidade, podem ser observadas em diversas doenças intestinais, como doença celíaca, doença de Crohn, colite ulcerativa, dentre outras. Os sintomas associados a essas condições clínicas, normalmente envolvem má absorção, diarréia, constipação, inchaço e, como consequência, deficiência de vitaminas e minerais, que como vimos anteriormente, se relacionam com distúrbios na tireóide.


Os ácidos graxos de cadeia curta, como butirato, são capazes de fortalecer as junções intracelulares juntamente com os hormônios da tireoide. Esses metabólitos possuem relação com o sistema imunológico, com mecanismos antiinflamatórios, indução da regeneração epitelial e com a modulação de hormônios.


A iodotironina-deiodinase, é fundamental na conversão de T4 em T3. A atividade da deidinase também foi observada na parede intestinal, contribuindo para os níveis corporais totais de T3. Ademais, para um funcionamento efetivo das enzimas, é crucial um aporte energético adequado, sendo o intestino um dos órgãos essenciais para o metabolismo energético.


Probióticos


Os probióticos podem contribuir como terapia adjuvante para distúrbios na tireóide. Estes são capazes de acumular oligoelementos, como zinco, selênio e cobre, e incorporá-los em compostos orgânicos, obtendo um efeito sinérgico e favorável à tireoide.


A suplementação de simbióticos (combinação entre prebiótico e probiótico) em indivíduos com hipotireoidismo, reduz significativamente o TSH, a dose de levotiroxina e a fadiga. Ademais, a suplementação de Lactobacillus reuteri pode ser capaz de aumentar o T4 livre e a massa tireoidiana.


Por fim, a microbiota intestinal e seus metabólitos afetam a função tireoidiana em vários níveis.


Para um estudo mais aprofundado sobre o tema, segue abaixo algumas sugestões:


Blog HQ: A microbiota intestinal e suas possíveis implicações à saúde


Artigos


BARGIEL, Piotr et al. Microbiome Metabolites and Thyroid Dysfunction. Journal Of Clinical Medicine, [S.L.], v. 10, n. 16, p. 3609, 16 ago. 2021. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/jcm10163609.


KNEZEVIC, Jovana et al. Thyroid-Gut-Axis: how does the microbiota influence thyroid function?. Nutrients, [S.L.], v. 12, n. 6, p. 1769, 12 jun. 2020. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu12061769.